Meu estilo | BEDA#21

Oláá amores lindos!! Muito chato deixar de blogar de novo, mas ontem estava o pó, acabei dormindo e nada de ligar o notebook 😦

Mas hoje vamos falar de moda de novo?

Muito se fala sobre ter um estilo. Cada um se veste de um jeito, se identifica com um tipo de roupa, gosta de uma coisa diferente. Aí está a maior graça da moda: a diversidade.

Lembro tão engraçadamente da minha adolescência que achava ridículo quando algo estava na moda e todo mundo usava. Ah, todo mundo igualzinho, mó chato. Eu era a diferentona mesmo. A louca. Ás vezes super curtia a peça do momento, mas já que estava na moda não usava. Ô vontade de ser do contra!

Claro que a gente cresce, a maturidade chega e as coisas mudam. Gosto de olhar o que está na moda. Se eu gostar uso. Se não gostar não uso. E se sair de moda e eu quiser eu continuo usando e ponto final.

Adoro inventar looks e meu estilo varia de acordo com meu humor. Para trabalhar vou bem basiquinha, não dá tempo de criar muita coisa. Ultimamente tem sido assim:

taylor-marie-hill-street-look-basico-mochila-sueter-calca

Para os passeios posso até repetir looks tipo o de cima, mas agora entra mesmo meu estilo. Vario entre romântica, girlie e até mesmo rockeirinha. Ou algo que não sei o nome. Tipo assim:

Peça preferida: Vestido

Calçado: Sapatilha. Amo muuuito. E tênis. Tive a vibe de comprar saltos, mas nem uso muito, só em grande ocasiões. Marcas? Melissa, All Star e Moleca

Loja que mais compro: Marisa

Para sair a noite depende muito de onde vou. Tenho sapatos baixos arrumadinhos pra noite. Posso sair com a mesma roupa que uso de dia. Em geral uso cores claras de dia e escuras a noite, mas não é regra.

Se eu tiver que escolher um único estilo pra definir? Por ironia do destino: romântico. Quem me conhece sabe que não sou naada romântica como pessoa HAHA mas os looks me atraem.

E você? Qual seu estilo?

Ainda vou chegar no patamar de ter minhas próprias fotos ^^

 

Beijinhos de chocolate

beda

 

 

Sobre falar de moda | BEDA#12

marketing-digital-para-moda

Quando criei o blog, quase um ano atrás, eu pensei em vários temas para colocar aqui, e moda era um deles. Eis que, até hoje, nunca falei sobre isso. A verdade é que comecei a me interessar pelo assunto a uns anos atrás, a fuçar a internet sobre blogs e perfis de moda no Instagran. Super curti, achava o máximo ver os looks, as novidades e as combinações. Só que aconteceu que de repente tudo começou a me causar um certo desconforto. Bem, falar sobre moda na minha humilde opinião era divertido, explorar as novidades e o que você pode fazer com aquelas muitas peças. Só que não é bem assim que tenho visto por aí.

A verdade é que quanto mais eu procuro o assunto moda mais eu encontro ditaduras da beleza. Ui! Que termo forte! Mas Augusto Cury foi bem implacável quando colocou esse título. Eu meio que fico cansada de ver as meninas falando o que deve e o que não deve usar. Não quero ser antiética pra falar do trabalho do outro, mas, caramba, como assim dizer que eu não posso usar determinada peça?

O que eu mais tenho gostado da moda ultimamente é a diversidade. O eu poder combinar estampas diferentes e cores. Essa liberdade de ser você mesma. Então qual é de ficar ditando o que eu posso ou não posso?

Tá bom, eu concordo plenamente que determinados cortes e modelos deixam mais elegante, deixam mais gorda/magra, alta/baixa, que valorizam tal parte do corpo e muitos blablablas. Sei disso. Mas e se eu não me importar com isso? Acho legal saber quando eu quiser aparentar alguma coisa, ok. Pronto!

Sinceramente, vi uma vez dizendo que baixinhas não podem usar XYZ porque elas aparentam ser mais baixas do que já são. Alo-ou! E se eu quiser ficar baixinha? Adoro ser pequena, combina com meu jeito de ser e ponto! O dia que eu quiser parecer mais alta uso essas dicas. Cheguei a ler que depois dos 30 tinha que jogar XYZ na lata do lixo. Não quero, ué. Eu gosto dessa peça.

Só acho que a gente tem que saber os momentos certos. Não vou trabalhar vestida de frufrus pois sei que não vão me dar crédito, preciso impor certo respeito. Mas eu não trabalho fora 24hs por dia, né.

Desabafos a parte, sangue fervendo e bem cansada disso tudo gosto de dizer que o legal de falar de moda é a capacidade de ousar. Seu look diz muito de você, a roupa que você usa pode dar cola do que está passando, sentindo e até de quem é. Cada um tem seu jeito, seu estilo e de fato precisamos respeitar mais. Dar uns toques é legal, ajuda bastante, obrigada, mas cada um segue sua moda como sua cabeça pede.

Tem gente que tem seu próprio estilo, tem gente que não esquenta cabeça pra moda. E aí? Já conversou com ela?

Obrigada minhas amigas blogueiras de moda pelas dicas, respeito o trabalho de cada uma de vocês e curto bastante os looks, pego ideias e talz, mas, por favor, não ditem regras pra mim #migasuaruim

Meu blog vai falar de moda, sim! Dicas e peças pra quem quiser se inspirar, ousar. E nada caro, ok! Estamos em crise rs…

Aguardem posts de moda

Perdoem-me o desabafo, agora estou preparada para falar sobre moda.

Obrigada

De nada

beda

 

Projeto Fotográfico 4×4 – Julho

Depois de meses sem participar,  hoje  retorno com minhas fotografias do Projeto Fotográfico 4×4, no meu amado grupo Vai um café?. Super me surpreendi com o resultado, amei demais os temas Lari. Sem mais delongas, minhas fotografias:

  1. Amarelo

Começando com meu tema preferido, deu margem para minha criatividade e eu fiquei um tempão pensando: O que eu fotografo de amarelo? Bem, quem vê os meus vídeos já viu essa plaquinha por lá ne? Fui eu mesma que pintei 🙂 PAZ

09 003

2. Frio

Um look de inverno chique. Dizem que ficamos mais elegantes no frio, hehe. Toca de lã, poncho e bota overknee. Pra esquentar que o negócio aqui anda sinistro.

09 004

3. Cotidiano

O que andei fazendo nessa última semana? Estudando para prova da faculdade. Meus dias acabam sempre se resumindo em canetas, lápis, caderno e notebook. E as fofurinhas pra alegrar. A pasta sanfonada em baixo é onde armazeno minhas ideias para os próximos livros.

09 005

4. Música (por causa do dia do rock)

Meu violão. Instrumento que de pouco a pouco estou conseguindo tocar e orgulhosa de mim mesma. Só que nada de rock. Estou com dificuldade de bater, foco nos dedilhados, valas e marchas.

80 193

Essas foram minhas fotos. Fico orgulhosa do resultado, hehe.

Todas foram fotografadas por mim mesma, com minha câmera Canon T3i. Uso a lente 50mm e a do cotidiano usei a 18-55mm pra não desfocar. O sol batia no meu quarto.

Beijos pessoas lindas

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Meus produtos Cruelty Free (vídeo)

Bem, como havia prometido, mostrei neste vídeo quais os meus produtos que já tenho aqui em casa que não foram testados em animais. Estou muito feliz em saber que já faço escolhas cruelty free no meu dia a dia. Espero que gostem e surpreendam com as marcas que constam na lista de cruelty free!!

Curtam o vídeo 😉

 

Links:
Lista da PEA: http://www.pea.org.br/crueldade/teste…
Minha história com o Cruelty Free: https://cariocadointerior.wordpress.c…
Artigo do Blog CACHEIA!: http://cacheia.com/2015/02/precisamos…
Artigo do blog da Fabi (explica como são feitos os testes n’O Boticário): http://fabbi-blog.blogspot.com.br/201…

 

Beijinhos de chocolate

Cruelty Free: bati o martelo!

cruelty-free

Muitos anos atrás eu e uma amiga discutíamos a respeito dos direitos doa animais. Entrávamos na internet e ficávamos procurando notícias e artigos a respeito do assunto. Lembro direitinho de nós duas, a noite, aqui em casa sentadas conversando sobre empresas que testam em animais. Li vários artigos na época sobre como os testes são feitos, vi fotografias chocantes e fiquei bem amargurada. Bem, na ocasião não era tão simples encontrar coisas na internet, pode até parecer estranho dizer isso, mas foi bem antes do boom de smartphones e estávamos ainda no início do Orkut (ui, que velha!). Só sei que chocadas fomos mudando de interesses, e os nomes das empresas ficamos meio que sem saber.

Uns anos atrás comecei a trabalhar e junto com o emprego chegou meu interesse em cosméticos e maquiagens. Se antes um batonzinho e lápis de olho era muito, o ritual de beleza foi ficando cada vez mais exigente. Essa mesma amiga começou a vender Natura e lembro perfeitamente da nossa bobiça por descobrirmos que era uma marca ecologicamente correta.

Bem recentemente, em meio as minhas pesquisas sobre marcas, comecei a ler artigos em blogs de moda com o selo Cruelty Free. Minha memória fez uma viagem louca e voltei nas minhas pesquisas mil anos atrás. Comecei a ler mais a respeito dos testes, dos absurdos (gente, pingam xampu nos olhinhos dos coelhinhos) e fiquei em estado de choque maior. E seguidamente, uma lista quase infinita de empresas que testam/não testam em animais.

Ueba!! Super feliz, fui anotando e me sentindo péssima por ter aqui em casa vários desses produtos. Mas muito contente por muitas marcas que gosto bastante não realizam esses testes horrendos. Sei que há uma diferença significante entre testar e ser cruelty free. Muitas (como a própria Natura) não testam mas compram matérias primas já testadas. Tudo exige muito mais estudo e pesquisa.

Enfim, muita felicidade em ver vários produtos nacionais na lista, deu um orgulhinho em saber que nosso país tem coisas boas 🙂 e muitas marcas baratas estavam na lista. Para ser bem honesta, os produtos mais caros/rycos/phynos estavam na lista de testados em animais.

Hoje, como escritora/blogueira/pedagoga/cidadã/cristã/militante-pelos-direitos-do-animais, bato aqui o martelo: só usarei produtos não testados! Ainda tenho maquiagens, hidratantes e etcs testados aqui em casa. Vou esperar acabar (ou não, talvez desapegue) e comprar novos, livres de crueldade animais. Se for pra fazer publi um dia só cruelty free. Algumas coisas sei que vão ser difíceis de trocar, mas com força/foco/fé chego lá. Estou pensando até em mostrar meus produtos livres nos meus vídeos e compartilhar com vocês.

Antes que me perguntem duas coisas vou responder:

1 – Mas os testados não são melhores e mais confiáveis? Nananinanão!! Hoje temos avanços suficientes na medicina e indústria farmacêutica que permitem testar produtos de outras maneiras (século XXI né minha gente!) eu mesma uso e adoro. Não tenho alergia e fico tchutchuca com eles.E fora que será que precisamos mesmo daquele batom ryco/phyno porque alguém falou que ele é o melhor, ou eu posso usar o mais barato amorzinho que é tão bom quanto? Coisas a se pensar.

2 – Você não vai falar como são feitos os testes, mostrar imagens nem falar mais nada sobre esse assunto? Não porque primeiramente não sei falar de coisas tristes. Vou deixar o link onde li e é bem esclarecedor. Segundamente porque meu rascunho estava ficando idêntico ao artigo que li no CACHEIA! e fora que ia ficar um testão e ninguém ia ler :s

Terminando, a parte mais esperada: a lista das marcas no site da PEA – Projeto Esperança Animal. E pra saciar a curiosidade quero saber de vocês quais as marcas listadas que vocês conhecem e usam e digam se não são boas 🙂

Artigo do CACHEIA!: http://cacheia.com/2015/02/precisamos-falar-sobre-direitos-animais-o-que-sao-produtos-cruelty-free/

Vamos repensar, os animais agradecem!!! Aguardem mais posts sobre o tema!!

Beijos fofos em nomes dos nossos amigos

 

TAG: 5 coisas que faria se o dinheiro não fosse problema

Então essa TAG roubei (HAHA) do blog “Loucuras da Julia”. Vamos falar de cinco (só ciiiinco) coisas que eu faria se o dindin não fosse problema. Fato que eu nunca pensei nisso #sqn

1 – Viajar sempre

Maceio AL 283

É, seja de avião, de carro, de busão ou a pé! Ia viver viajando, conhecendo lugares novos, pessoas novas, fazendo trilhas, fotografando tudo de mais lindo. Aí sim meu espírito aventureiro ia falar mai alto. Ninguém me veria mais HAHA.. Bem, como dinheiro não seria problema levava alguém comigo sempre que quisesse e pudesse ir. Desculpa aew!

2 – COMER :DD

 

Maceio AL 185

Comer coisa gostosa e diferente sempre! Ia ser difícil manter a dieta, mas como sou meio paranoica com peso, ia comprar aquelas coisitas detox também e ir variando. Mas que eu ia toda semana comer fora eu ia, muita pizza, massas, lanchinhos e molhos variados, comeria mesmo, com direito a sobremesa e muuuito suco sempre!

3 – Comprar livros até dizer chega

 

p 069

Foto tirada do Google

Ia comprar todos os livros que tenho vontade, completar minhas sagas de uma só vez e de quebra uma estante maior. Aliás com money eu me imagina morando numa casa maior, com um quarto só pras minhas nerdices. E ainda apromoraria com inúmeros itens de papelaria. Caraca, ia ter livro demais, ia parecer a biblioteca da Bela e a Fera. Ia morrer sem ler todos, com certeza.

4 – Ter um closet socado

images

Agora é a vez do meu momento patricite aguda. Sim, eu teria um closet gigantesco para comprar todas as modices que eu quisesse. Roupas, sapatos, bolsas, maquiagens… TUDO! Aquela peça que eu vivo namorando ia ser minha. Não ia me controlar. Já é difícil sendo dura, imagina se o dinheiro não fosse problema? Aiai, suspiro só de pensar.

 

5 – Ter muitos cachorros

cachorrada_chinesa01

Momento own! Sabe aquele sonho de infância de tirar todos os cachorros da rua? Pois é, eu tenho. E iria realizar. Ia ter uma cachorrada linda. Todos bem cuidados, castrados, vacinados e limpinhos. Ia brincar com eles todos os dias. Amo demais cachorros, todos eles, sem distinção. Pra ser sincera, duvido que compraria algum, iria apenas resgatar e cuidar deles. Ai que amor!!

 

Bom, agora é hora de acordar, colocar os pés no chão e ir trabalhar.

:/

Beijinhos

Top 5 – Coleções

E dessa vez a galera fofa o Projeto “Vai um café?” está falando em coleções. Desde criança gosto de colecionar as coisas. Já colecionei papel de carta (tenho até hoje, falarei sobre aqui algum dia), cartões-calendário, figurinhas de chiclete, álbum de figurinhas, adesivos (ainda tenho também)… todas essas foram aposentadas, mas com carinho guardei até achar que não tinha mais necessidade de acumular. Aliás as figurinhas eu fui colando em cadernos, cartinhas pras amigas e foram ficando feias também. Até depois de grande continuei colecionando coisinhas, só que aparentemente mais úteis hehe!! Vamos falar delas então?

1 – Bichinhos da Parmalat

12835044_1009111045829748_1672194574_n

Deixei primeiro pois comecei com 11 anos de idade e consegui completar (palmas!). Nunca tive coragem de desfazer e continuam até hoje enfeitando meu quarto, e que se dane se já sou adulta. Se eu casar levo comigo HAHAHAHA. E com o tempo eles foram ganhando coleguinhas pelúcia. Quem já teve, tem ou lembra?

2 – Marcadores de livro

IMG_4597

Comecei essa com 16/17 anos, mas era pequena e nem dava importância. Ela começou meio maluca: um dia eu olhei no guarda-roupa e vi que tinha muitos marcadores, então pensei: “Vou começar a colecionar”. Nada levado muito a sério e me achava o ser humano mais bizarro do mundo por colecionar marcadores. Aos 23 anos descobri uma menina (filha da chefe na época) que também colecionava e descobri que era uma febre. Nunca tinha me sentido tão normal HEHE

3 – Lápis e canetas

IMG_4596

Essa também começou cedo. Se eu der uma mexida daquelas nos armários aqui vou encontrar as antigas. Sempre gostei de itens de papelaria e amava entrar e comprar canetas/lápis/lapiseiras diferentes. Quando a tinta acabava, ficava com dó de jogar fora e ia deixando numa caixinha-que-nem-sei-onde-está. Esse gosto nunca passou e como hoje tenho potinhos na escrivaninha, vou deixando aqui enfeitando meu cantinho de estudo e criação. Alguns lápis são lembrancinhas fofas de aniversários e reuniões.

4 – Batons

IMG_4598

Essa a coleção mais recente que tenho. Começou de verdade ano passado. Até gostava de passar batom, mas nunca dei muita importância. Uns três de cores diferentes já bastavam e pronto. Em 2014 comprei um da Yes! e fiquei encantada, ele dava um make perfeito que não precisava de mais nada. Ano passado reencontrei a revendedora e comecei a comprar mais. Tenho de várias marcas (Avon, Natura, Jequiti…) mas os meus preferidos são os da Yes!, e o maior número. Prometi a mim mesma que esse mês vou me aventurar em outras marcas. Ainda vou fazer um vídeo sobre eles.

 

5 – Tiaras

IMG_4599

Pra ser sincera, sempre usei tiaras. Minha mãe me arrumava com arquinho quando criança porque meu cabelo era bem rebelde. Em 2008 surgiu uma modinha de tiaras com desenhinhos e achei uma fofura. Comprei uma, duas e lembro direitinho de ter postado a foto no Fotolog escrevendo: E começa minha coleção. Amei de paixão. Saía comprando nas lojinhas sempre que via uma bonita. Em 2012/2013 comecei ame sentir velha demais pra usar e decidi parar de comprar e usar, só em saidinhas melhores, ou naqueles dias que estava bem xoxa, com cara de toinhoinhoin e descabelada, para ver se dava uma melhorada. Chegou 2014, mudando de emprego, não resisti. Fui voltando a usar devagar e veio uma fofa lembrança: era minha marca registrada. Era conhecida por aí como “a menina que usa arquinho no cabelo”. Todo mundo se referia a mim com elas, elogiava e ficava comentando cada uma que aparecia. Lembrei de 2009, quando a coleção começou de verdade e foi um ano muito feliz pra mim. Então parei de besteira e voltei a comprar, a usar. Incrementei com hadbands, agora to na vibe dos lenços e feliz da vida. Não uso todos os dias, mas são minhas, muito minhas e faz parte de mim. Acho que elas merecem um vídeo ❤

 

Então essas são as minhas coleções malucas. Sempre tem algo mais que a gente gosta de guardar. É tipo que um hobby, uma distração, uma marca tua que faz as pessoas ao redor lembrarem de você e te presentearem com isso 🙂

Beijinhos carinhosos!!!

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n