É férias :D

A boa é que definitivamente estou de FÉRIAS!!! Tá, tudo bem, entrei no trabalho semana que vem, mas ainda estava em provas, então tirei um pouco pra estudar. Agora serão 2 semanas e meia pra dar um relax na cabeça porque o estresse tava bonito nas últimas semanas. Agora é hora de dar uma quebrada nisso!!

xwipv2

Claro que terei trabalho em casa nesses dias. Aliás, aproveitarei esses dias para pegar firme com blog, canal no YouTube e meus livros. Mas sem estresse. Coisas pra fazer nessas férias de Julho-que-esse-ano-está-em-Agosto-por-conta-das-Olimpíadas:

  1. Dormir até mais tarde (eeeeeeee)
  2. Ir deitar a hora que quiser (eeeeeeeeee)
  3. Pegar pesado na academia (quando voltar a trabalhar meu corpo tem que estar acostumado com o programa novo)
  4. Viajar pro Rio de Janeiro (ver a galera carioca)
  5. Ver o jogo de Handball nas Olimpíadas (uhuul)
  6. Ler muuuuito (aqueles livros gigantes, sabe)
  7. Jogar The Sims (milênios que não sei o que é isso)
  8. Colorir livros (relax total)
  9. Rolezin cazamigas (o que der pra fazer com pouca grana)
  10. Fazer scrapbook (muita foto aqui guardada esperando)
  11. O que vier na telha (haha)

Aiai, que vida boa meu povo. Mês de Agosto tem BEDA aqui no blog então muitas dessas coisas serão postadas. Alegria alegria, tenho bastante trabalho pra adiantar.

Mil kisses gente linda 😉

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Anúncios

Minhas maquiagens Cruelty Free

Hoje é dia de mostrar todas as minhas maquiagens que não foram testadas em animais. Um pouco triste pois tenho muitas que não se encontram na lista de Cruelty Free. Mas devagar vou substituindo.

Aproveitei e contei duas histórias/ relatos pessoais sobre maquiagens que testam em animais que uso faz tempo e não curti. Bom pra refletir que produtos não Cruelty Free não são necessariamente melhores. E sempre pensando no bem dos nossos animaizinhos 🙂

Curtam o vídeo e pensem bem antes de comprar!

 

Beijinhos de chocolate

Projeto Fotográfico 4×4 – Julho

Depois de meses sem participar,  hoje  retorno com minhas fotografias do Projeto Fotográfico 4×4, no meu amado grupo Vai um café?. Super me surpreendi com o resultado, amei demais os temas Lari. Sem mais delongas, minhas fotografias:

  1. Amarelo

Começando com meu tema preferido, deu margem para minha criatividade e eu fiquei um tempão pensando: O que eu fotografo de amarelo? Bem, quem vê os meus vídeos já viu essa plaquinha por lá ne? Fui eu mesma que pintei 🙂 PAZ

09 003

2. Frio

Um look de inverno chique. Dizem que ficamos mais elegantes no frio, hehe. Toca de lã, poncho e bota overknee. Pra esquentar que o negócio aqui anda sinistro.

09 004

3. Cotidiano

O que andei fazendo nessa última semana? Estudando para prova da faculdade. Meus dias acabam sempre se resumindo em canetas, lápis, caderno e notebook. E as fofurinhas pra alegrar. A pasta sanfonada em baixo é onde armazeno minhas ideias para os próximos livros.

09 005

4. Música (por causa do dia do rock)

Meu violão. Instrumento que de pouco a pouco estou conseguindo tocar e orgulhosa de mim mesma. Só que nada de rock. Estou com dificuldade de bater, foco nos dedilhados, valas e marchas.

80 193

Essas foram minhas fotos. Fico orgulhosa do resultado, hehe.

Todas foram fotografadas por mim mesma, com minha câmera Canon T3i. Uso a lente 50mm e a do cotidiano usei a 18-55mm pra não desfocar. O sol batia no meu quarto.

Beijos pessoas lindas

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Meus produtos Cruelty Free (vídeo)

Bem, como havia prometido, mostrei neste vídeo quais os meus produtos que já tenho aqui em casa que não foram testados em animais. Estou muito feliz em saber que já faço escolhas cruelty free no meu dia a dia. Espero que gostem e surpreendam com as marcas que constam na lista de cruelty free!!

Curtam o vídeo 😉

 

Links:
Lista da PEA: http://www.pea.org.br/crueldade/teste…
Minha história com o Cruelty Free: https://cariocadointerior.wordpress.c…
Artigo do Blog CACHEIA!: http://cacheia.com/2015/02/precisamos…
Artigo do blog da Fabi (explica como são feitos os testes n’O Boticário): http://fabbi-blog.blogspot.com.br/201…

 

Beijinhos de chocolate

Feliz dia do escritor

wri

Uns anos atrás fiquei sabendo da existência do dia de hoje: DIA DO ESCRITOR!! Fiquei pensando como seria o dia que poderia comemorá-lo: enfim, ele chegou!! Hehe. Sem festas e balões, comilanças e tunti-tuntis, mas com uma satisfação enorme de saber que esse ano comemoro meu primeiro dia do escritor oficialmente como escritora. Lembro que ano passado eu viajei nesse dia e conversando com minha mãe via zap (eu no aeroporto e ela em casa) rimos que estava comemorando meu dia, afinal, já tinha escrito um livro, só não havia publicado.

Dia 21/07 fez dois meses que publiquei meu primeiro livro. Nesses meses como escritora tudo que ganhei foi enorme aprendizado, carinho dos amigos, abraços sinceros, novas amizades e a certeza de que estou fazendo o que nasci para fazer: escrever!!

Ser escritora é colocar um sentimento no papel e passar adiante. É divulgar uma mensagem, fazer o leitor pensar, sentir, refletir.É mexer com as emoções e ajudar o outro a se conhecer, se encontrar na história e saber que não estar sozinho.

Recebi vários comentários nesses dois meses a respeito do meu livro. De pessoas diferentes, de pensamentos e histórias diferentes e várias idades. É maravilhoso como cada um tem seu ponto de vista, seu sentimento, sua parte preferida e o que menos gostou.

Ouvi  amigos dizerem que voltou no tempo, que riu e chorou com a Gabi. Uma amiga contou que aconteceu com ela o mesmo e ler o livro fez bem por lembrar de uma fase ruim sem sentir dor. Amigas contando todas as reflexões que o livro fez ter.

É muita felicidade saber de que alguma forma estamos contribuindo para o mundo. Ser escritora é transmitir em histórias alguma mensagem positiva para o mundo. Junto disso uma grande responsabilidade. A cada escrita mil perguntas: O que de bom eu estou passando para as pessoas? Que mensagem eu estou deixando para o mundo? Como posso mudar o sentimento de alguém? O que as pessoas podem tirar de bom nesse livro?

Não tem graça escrever um livro se ele não deixar nada de bom para o leitor. Desejo que meus livros ajudem muitos jovens de alguma forma.

Comemoro meu dia de hoje escrevendo hehe!! Estou fazendo o que mais amo na vida… Amo ser escritora!

Um feliz dia do escritor pra todos vocês que escrevem, que distribuem amor através de histórias, de palavras. Como dizem por aí:

Isso muda o mundo!!

Abraços cheios de felicidade 🙂

 

 

TAG: Sete Pecados Literários (Vídeo)

Olá todo mundo!! Ontem foi ao ar mais um vídeo para o meu canal no Youtube, mais uma TAG: Sete Pecados Literários 🙂 Nessa TAG literária a gente escolhe um livro para cada pecado capital. Achei super divertida de responder. Achei que essa seria a última, mas fui indicada pela Naty Assis a responder mais uma TAG literária e já avisei que vai ser mais para o mês que vem pois estou trabalhando em um novo vídeo com outro tema, para dar um descanso das TAGs literárias (embora AME falar sobre livros!!). E também porque é um assunto que quero abordar a partir de agora (qual será??).

Enfim, espero que gostem do vídeo, resolvi me aventurar e explorar mais o programa de edição e brincar com alguns recursos. Lá eu marquei uns amigos blogueiros e estarei aguardando as respostas hein HEHE..

Fiquem com o vídeo 😉

Dia de rock, bebê!!

Tá, eu sei que o dia do rock foi ontem, mas como sai não pude postar, e também né, só um diazinho hehe…!! Minha história com o rock começou aos 14 anos, de uma forma meio que curiosa e bizarra. Bem, na verdade fui uma pré-adolescente romanticazinha que ouvia pop e até mesmo um pagodeenho de leve. Nessa idade eu tive o que na época podia chamar de primeira desilusão amorosa (quanto drama, mas tinha 14 anos, dá um desconto!). Fiquei bem magoada porque o menino que era apaixonada não gostava de mim e como sabia da minha paixão fazia piadinhas com isso e usava para exibir pro mundo, do tipo: “sou gostosão!!”

Tá bom, fiquei mal e achava insuportável ficar ouvindo musiquinhas melodramáticas, ainda quando, meses depois conheci outro menino e troquei de paixonite. Comecei a questionar porque que todas as músicas falavam de amor, de casais apaixonados, de que não vivo sem você, que você é tudo na minha vida. Pera aí, muito mel com açúcar (era esse o termo que usava). Até que mais ou menos sem querer conheci o rock, pop rock na realidade, coisa de leve. Lembro que Capital Inicial tava em alta e na escola a gente só cantava “Primeiros Erros”.  Logo após minha amiga me deu um CD do Barão Vermelho. Aí que tudo começou, descobri o que queria ouvir.

Aos 15 anos conheci outras músicas aleatórias, enjoei do rosa e comecei a descobrir outras coisas. Conheci gente nova, meus amigos que tenho até hoje e passei a gostar de estudar História. Mas só aos 16 que ampliei mesmo. Descobri sites na internet e programas para baixar músicas (quem aí lembra do Kazaa? Sim, sou tiazona. Pronto, falei!) Uma infinidade de músicas de rock com letras inteligentes, que falavam sobre a vida, outros sentimentos e fui me encontrando cada vez mais. Aos 17 a Pitty estourou no mercado e eu virei fan incondicional dela.

Cheguei a ouvir rock pesado por uns meses, mas enjoei rápido, aquilo não era pra mim rs. No meu PC tocava Link Park, Capital Inicial, U2, CPM22, Cazuza, Avril Lavigne e outras. O tempo foi passando e sempre me dava a louca de conhecer novas bandas. Aos 19 anos sabia meu estilo musical preferido: rock nacional. Fui conhecendo Engenheiros do Hawaii, Biquini Cavadão, Nenhum de Nós, Nando Reis e outros. E nessa época, a paixão da adolescência do meu irmão pegou em mim. Sempre ouvi Los Hermanos por causa dele e resolvi pesquisar todo o repertório. Pronto, apaixonei.

Não que tivesse deixado o pop de lado. Ainda ouvia Sandy e Jr e Backstreet Boys. Mas a maturidade me fazia querer ouvir músicas além do “eu te amo”. Tinha um grande hobby em pegar as letras e ficar analisando, tentando entender o que o cara queria dizer com aquela música (ahan, coisa de gente louca).

O rock marcou em mim como uma transição de pensamento, maturidade, nerdice, vontade de refletir sobre a vida e me conhecer cada vez mais. Quantas vezes não estava mal e uma música me fez me sentir melhor? Quantos rocks não me fizeram compreender certos acontecimentos e refletir?

Muito mais do que solos de guitarra!

Viva o rock!!